sexta-feira , 12 abril 2024
Lar Últimas notícias Veja 20 perguntas e respostas sobre vacinação contra a covid-19
Últimas notícias

Veja 20 perguntas e respostas sobre vacinação contra a covid-19

Imunização em combate à doença pode ser encontrada em todas as Unidades Básicas de Saúde do DF; ações extramuros reforçam cobertura

Com o aumento do número de casos de covid-19, a Secretaria de Saúde (SES-DF) alerta para a necessidade de vacinação contra a doença e disponibiliza imunização de segunda a sexta-feira, em diversos pontos. Pessoas que nunca tomaram a dose podem iniciar o esquema vacinal primário (D1+D2) ou completá-lo com a vacina monovalente ou bivalente. Basta levar o documento de identidade com foto e a caderneta de vacinação. Este último, caso não tenha, é possível solicitar à Unidade Básica de Saúde (UBS) do dia da dose.

O último boletim epidemiológico de covid-19, com dados de 11 a 17 de fevereiro, registrou aumento no número de novos casos e na taxa de transmissão. No Distrito Federal, foram notificadas 933.246 ocorrências confirmadas, com três óbitos registrados. A semana epidemiológica atual apresenta quase 2 mil casos novos em relação à semana anterior – um acréscimo de 17,5%.

Neste ano, o Ministério da Saúde estabeleceu uma dose de reforço do imunizante bivalente contra a covid-19 apenas a grupos prioritários: idosos; pessoas que vivem em instituições de longa permanência e seus trabalhadores; gestantes e puérperas; trabalhadores da saúde; pessoas privadas de liberdade; adolescentes cumprindo medidas socioeducativas; profissionais do sistema prisional; indígenas; ribeirinhos; quilombolas; pessoas imunocomprometidas; com comorbidades ou deficiência permanente (com 5 anos de idade ou mais, de acordo com a avaliação da equipe de saúde) e pessoas em situação de rua.

A covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo coronavírus (Sars-CoV-2) e tem como principais sintomas febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, dor de cabeça, conjuntivite, dor de garganta, diarreia, perda de paladar ou olfato, erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés. Esses sinais geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, sem apresentar sintomas.

Confira algumas perguntas e respostas sobre a vacinação contra a covid-19 e tire suas dúvidas:

Por que é importante se vacinar contra a covid-19?

Os vírus permanecem em circulação e as vacinas são altamente eficazes na prevenção de doenças graves, hospitalizações e mortes. Além disso, a imunização em massa reduz a disseminação e a transmissão do vírus na comunidade, ajuda a proteger grupos vulneráveis, como bebês muito jovens, idosos e pessoas com condições médicas especiais.

Meu filho pode ter algum problema no futuro por ter tomado a vacina contra a covid-19?

As vacinas contra a covid-19 têm sido amplamente estudadas e testadas por diferentes países, em ensaios clínicos rigorosos antes de serem autorizadas para uso. As agências reguladoras de saúde monitoram continuamente a segurança das doses e revisam os dados de segurança para garantir que os benefícios da vacinação superem os riscos potenciais a curto e a longo prazos.

Por que algumas pessoas vacinadas ainda ficam doentes?

A vacinação contra a covid-19 é uma das principais estratégias para prevenir doenças graves, hospitalizações e mortes causadas pelo vírus. As vacinas, contudo, não só a da covid-19, não chegam a cem por cento de eficácia. Isso significa que algumas pessoas podem, sim, contrair o vírus, mesmo após a imunização.

Posso receber as vacinas da gripe, da covid-19 e da dengue simultaneamente?

As vacinas da gripe, covid-19 e contra a dengue são intercambiáveis, isto é, podem ser feitas no mesmo dia. Isso porque se trata de um imunizante inativado, outro de RNAm e atenuada (vírus vivos), respectivamente. Portanto, não há interferência de resposta imunológica entres as doses. No entanto, recomenda-se que a vacina contra dengue atenuada (Q-Denga) seja aplicada em um membro exclusivo.

Por quanto tempo dura a imunidade fornecida pela vacina contra a covid-19?

Sabemos que a imunidade proporcionada por algumas vacinas costuma reduzir com o tempo e outras possuem imunidade mais duradoura, não havendo necessidade de reforços ao longo dos anos. As evidências sugerem que as vacinas da covid-19 oferecem proteção significativa contra doenças graves e hospitalizações por pelo menos seis meses após a imunização e para infecções assintomáticas por até um ano após a última dose recebida.

Pessoas que tiveram covid-19 devem continuar a ser vacinadas contra a doença?

Sim. Pessoas que já tiveram covid-19 devem ser vacinadas contra a doença independentemente de terem tido uma infecção anterior. Isso ocorre porque a imunidade natural adquirida por meio da infecção pode não ser suficiente para proteger contra a reinfecção. Nesse quesito, as vacinas têm se mostrado eficazes na prevenção da doença e de suas complicações.

Quanto tempo devo esperar para ser vacinado depois de ter tido covid-19?

Após o término dos sintomas agudos da doença.

Posso tomar outras vacinas no mesmo dia que a vacina contra a covid-19?

Sim, todas as vacinas do Calendário Nacional de Imunizações podem ser feitas no mesmo dia, sem nenhuma contraindicação até o momento.

Gestantes podem ser vacinadas contra a covid-19?

Alguns imunizantes contra a covid-19 não são indicados às gestantes. Atualmente, a recomendação para a vacinação em pessoas grávidas é a vacina CoronaVac (inativada) e a Pfizer (RNAm), como primeira escolha.

Pessoas que estão amamentando podem ser vacinadas?

Sim. Todas as vacinas contra a covid-19 são consideradas seguras e eficazes às pessoas que estão amamentando. A imunização é recomendada, inclusive, como proteção não só à doença, como às suas complicações.

Pessoas com doenças subjacentes podem ser vacinadas contra a covid-19?

Existem algumas comorbidades que possuem prioridade na vacinação contra a covid-19. São elas: pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial resistente; insuficiência cardíaca (IC); doenças coronarianas; doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares; doença renal crônica; hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves; obesidade mórbida, Síndrome de Down e outras trissomias; doença hepática crônica.

As pessoas diagnosticadas com a síndrome de Guillain-Barré (SGB) podem ser vacinadas contra a covid-19?

O risco de desenvolver SGB após a vacinação contra a covid-19 é muito baixo. Porém, nesses casos, é necessário que seja feita uma avaliação clínica mais ampla que investigue o risco-benefício da imunização.

Pessoas com alergias ou problemas do sistema imunológico podem ser vacinadas contra a covid-19?

A maioria das pessoas com alergias não corre risco de ter reações alérgicas graves às vacinas contra a covid-19. No entanto, indivíduos com histórico de reações alérgicas graves deverão informar ao profissional de saúde para avaliar o risco e tomar uma decisão precisa.

Crianças e adolescentes podem ser vacinados contra a covid-19? Há risco em tomar a vacina da dengue e da covid no mesmo período?

Existem vacinas apropriadas e recomendadas para essa faixa etária. As doses contra a covid-19 são seguras e eficazes ao público infantil e jovem, protegendo-os da doença e de suas complicações. As vacinas da covid-19 e da dengue são intercambiáveis e não há interferência de resposta imunológica entres elas. No entanto, recomenda-se que a vacina contra dengue atenuada (Q-Denga) seja aplicada em um membro exclusivo.

Se a vacina que recebi exigir mais de uma dose, eu realmente preciso da série completa?

Sim. Completar o esquema de vacinação conforme recomendado é de suma importância para alcançar a resposta imunológica adequada, caracterizada pela produção de anticorpos de longa duração e o desenvolvimento de células de memória. Mesmo que alguém tenha recebido uma dose da vacina, a proteção total pode não ser alcançada até que todas as doses recomendadas sejam administradas. As vacinas subsequentes são essenciais para garantir uma proteção mais forte contra o vírus.

Posso doar sangue depois de receber a vacina contra a covid-19?

Pessoas que receberam a vacina Coronavac (Sinovac/Butantan) devem aguardar um período de dois dias após a imunização antes de doar sangue. Para aqueles que receberam a vacina Pfizer-BioNTech, é recomendado um intervalo de sete dias antes de realizar a doação.

Se eu já tiver recebido a série primária, preciso mesmo de uma dose de reforço?

A doses de reforço estão recomendadas somente para os grupos prioritários: pessoas com 60 anos ou mais; pessoas que vivem em instituições de longa permanência e seus trabalhadores; gestantes e puérperas; trabalhadores da saúde; pessoas privadas de liberdade; adolescentes cumprindo medidas socioeducativas; profissionais do sistema prisional; indígenas; ribeirinhos; quilombolas; pessoas imunocomprometidas; pessoas com comorbidades, com 5 anos de idade ou mais, de acordo com a avaliação da equipe de saúde; pessoas com deficiência permanente, com 5 anos de idade ou mais; pessoas em situação de rua;

Para pessoas com 60 anos ou mais, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, uma nova dose está indicada em 2024 após o intervalo de 6 meses. Para os demais grupos prioritários a recomendação é uma dose anual. Aqueles que não fazem parte dos grupos prioritários não têm recomendação de doses de reforço.

Não tomei nenhuma dose da vacina. Posso procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e tomar as vacinas de covid-19?

Os esquemas primários de vacinação contra a covid-19 não serão mais recomendados rotineiramente às pessoas com 5 anos de idade ou mais que não fizerem parte do grupo prioritário. No entanto, se um indivíduo que não tenha sido vacinado anteriormente (nenhuma dose prévia) ou que tenha recebido apenas uma dose da vacina contra a covid-19, optar por se vacinar, poderá procurar sua UBS de referência e iniciar e/ou completar o esquema primário de vacinação, composto por duas doses com intervalo de 28 dias entre as doses.

Quais são os efeitos colaterais que podem ocorrer após a vacina?

Os efeitos relatados têm sido, em sua maioria, de leves a moderados e não duraram mais do que alguns dias, como: dor no local da aplicação, febre, fadiga, dor de cabeça, dor muscular, calafrios e diarreia.

Por que há pessoas morrendo de covid-19 mesmo estando vacinadas?

Embora as vacinas contra a covid-19 sejam altamente eficazes na prevenção de doenças graves, hospitalizações e mortes, nenhum imunizante é cem por cento eficaz. Algumas pessoas ainda podem contrair o vírus mesmo após serem vacinadas. Fatores como comorbidades, imunossupressão e outras condições individuais podem interferir na resposta imunológica. Além disso, o surgimento de novas variantes do vírus SARS-CoV-2 pode afetar a eficácia das vacinas, aumentando o risco de infecção e doença grave em determinados grupos populacionais.

fonte:  https://jornaldebrasilia.com.br/brasilia/veja-20-perguntas-e-respostas-sobre-vacinacao-contra-a-covid-19/

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Turma feliz, vacina em dia! Idosos estão entre os que mais buscam imunização

Terceira idade se orgulha de manter o cartão de imunização atualizado. Especialistas...

CRM indica interdição ética das tendas de hidratação para dengue no DF

O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) emitiu, nessa sexta-feira (22/3), um...

Rodoviária: empresas indagam até sobre restringir ônibus em concessão

A Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob-DF) emitiu uma nota informativa sobre a...

Cada R$ 1 bi investido gera 150 mil empregos, diz presidente da Caixa

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Carlos Antônio Vieira Fernandes (foto...